Mapa da Mina: Almoço de domingo na Estação Papary

No último almoço de domingo – parafraseando minhas amigas do Almoço de Sexta – resolvemos procurar um lugar pitoresco nos arredores de Natal para uma refeição “diferente”. Lembrei-me do restaurante que funciona no antigo prédio da Estação Papary… Papary era como se chamava o município de Nísia Floresta, antes de mudar de nome em homenagem à escritora Dionísia Gonçalves Pinto (1810-1885), que nasceu lá. A estação data de 1881 e recebeu passageiros até em torno de 1980, quando circulavam trens que ligavam Natal a Recife. Agora o único trem que passa lá, é o das onze, quando alguém resolve cantar.

Atualmente o prédio abriga o restaurante Marina’s Camarões e é nesse ponto que finalmente entramos na História, afinal, potiguar (quem nasce no Rio Grande do Norte) significa comedor de camarão.

O entorno da antiga estação ainda tem aspecto rural, talvez por isso, o prédio não tenha sofrido pressão e esteja bem conservado. Creio que as maiores alterações tenham sido para instalação da cozinha. Internamente há um grande salão com mesas, mas aceite minha dica, o melhor lugar para almoçar é na varanda, que na verdade é a antiga plataforma de embarque. Os trilhos ainda estão ali ao lado!

Hora do almoço

Levando a sério nossas origens, pedimos primeiramente pastéis de camarão. Huuum! Estavam no mesmo patamar do melhor pastel de camarão de todos os tempos da última semana!

Depois, para almoçar de verdade, dois pratos com camarão e um com peixe. Estavam bons, mas o que merece destaque mesmo foi apenas o prato que recebe o nome do restaurante, Camarão Marina’s (camarão empanado com batata palha). Esse sim foi disputado!

Encerrando o almoço pitoresco, doce caseiro! Existem vários sabores para escolher, mas na dúvida, coloquei um pouco de cada até não caber mais na cumbuca! Depois dessa, só mesmo uma dose bem gelada… De água!

Bônus track

Como estávamos muito próximos à Nísia Floresta, convidei o pessoal para dar uma passada na cidadezinha e visitar o baobá. Isso mesmo, baobá, aquela árvore africana gigantesca que o coitado do Pequeno Príncipe morria de medo que crescesse em seu planeta minúsculo. Não sei qual história do Baobá de Nísia, mas de acordo com a placa existente no local, foi plantado em 1877, pouco mais velho que a Estação Papary. Para quem nunca viu um baobá e principalmente para os fãs do Pequeno Príncipe, vale a pena visitar essa grandona.

Esse foi o nosso Almoço de Domingo! Quer ir lá também? Pois aí está o mapa da mina!

| Eu vou | Petter Dantas | 2014

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s