Em busca da Bocca della Veritá

Depois de ter assistido à cena de A Princesa e o Plebeu (Roman Holiday, 1953) em que Gregory Peck leva Audrey Hepburn para conhecer a Bocca della Veritá em Roma, fiquei cheio de expectativa para repetir o roteiro do filme in locco!

EUVOU_BOCCA_1

A Bocca della Veritá (Boca da Verdade) parece um medalhão de mármore gigante, mas na verdade, especula-se que tenha sido um ralo e é datada de antes do século IV a.C. Segundo a lenda, se alguém colocar a mão dentro da Bocca e contar uma mentira, rapidamente ela se fechará amputando a mão do mentiroso, artifício que na Idade Média foi muito utilizado por maridos inseguros para testar a fidelidade das esposas. A Bocca della Verità se encontra atualmente na Igreja de Santa Maria in Cosmedin, na base do Aventino, uma das sete colinas de Roma.

Enquanto eu sonhava acordado, ainda não tinha percebido que Roma é uma cidade das multidões e (logicamente) inúmeras pessoas (assim como eu) tinham visto esse trecho do filme ou ouvido falar da lenda da Bocca. Quando chegamos em frente à Igreja, vimos uma fila gigante apenas para tirar uma foto com a mão na Bocca… De repente tudo ficou pior: parou um ônibus de excursão (com aqueles grupos que andam com um guia que tem uma antena enfeitada) e todo mundo desceu para meter a mão na Bocca!  Foi aí que desisti de reproduzir a cena do filme.

EUVOU_BOCCA_2

Era um verdadeiro fast photo. As pessoas colocavam a mão na boca de pedra, o flash saía e a fila andava. Com duração de 4 segundos por pessoa acho que não deu tempo de ninguém pensar em uma mentira. Ainda bem que na frente da Igreja havia um gradil pertinho da Bocca. De lá fiquei admirando a peça e imaginando inúmeras mentiras, mas acho que não estava perto o bastante para que ela sentisse a energia. A Bocca não se fechou, mas senti de leve meu nariz crescendo.

Visitar a Bocca della Verità é legal, mas sem a obrigação de tirar a fotinha feita em 4 segundos. Nesse caso, é melhor guardar como lembrança a cena original e não a imagem de uma fila de turistas em replay.

Assista a esse vídeo e vejam como a cena clássica é perfeita. Inocente e engraçada.

Só desculpa aí o vídeo ser em espanhol. Apagaram do youtube o original em inglês.

Bonus Track

Mesmo que você não vá colocar a mão na Bocca, vale a pena visitar esse cantinho do Aventino. Você colocará a mão na boca de admiração com os monumentos de diferentes épocas do local. Para quem planeja atravessar o Rio Tevere, sugiro seguir pela Ponte Palatino e dar uma passadinha por aqui.

EUVOU_BOCCA_4

A Igreja de Santa Maria in Cosmedin é datada do Século VI d.C., mas apresenta fragmentos de outras épocas, como o campanário românico  do Século XII. Também estão na vizinhança os templos de Hércules e de Portunus, os mais bem preservados da Roma republicana (Século II a.C.), o Arco de Jano, que funcionava como uma espécie de mercado público (Século IV d.C.) e a Fontana dei Tritone, de Carlo Bizzaccheri, construída em 1715.

EUVOU_BOCCA_3

Enfim, há muito mais que a Bocca pelas redondezas do Aventino… E sem filas!

Imagem em destaque: La Bocca della verità, estátua de Jules Blanchard no Jardim de Luxemburgo, Paris. Foto de Marc Baronnet
Todas as outras figuras do post são propriedade do Eu vou!
| Eu vou | Petter Dantas | 2014
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s